O que é a tendinite?

“A tendinose é uma síndrome clínica caracterizada por dor crónica e espessamento do tendão. Ele geralmente resulta do uso excessivo do tendão, principalmente em trabalhadores que fazem movimentos repetidos ou atletas amadores.

O sufixo “ITE,” é um termo para definir uma inflamação em diversas estruturas.

Resumindo, o termo tendinose deve ser usado para descrever uma lesão crónica do tendão, provocada pelo seu uso excessivo, o que antigamente era chamado de tendinite. O termo tendinite só deve ser usado para os poucos casos nos quais há realmente um processo inflamatório do tendão. O termo tendinopatia é mais amplo e pode ser empregado para descrever qualquer lesão do tendão, seja ela uma tendinose, tendinite, rutura do tendão, etc

Causas

Conforme vamos envelhecendo, nosso tendões vão perdendo elasticidade, fazendo com que, a partir dos 35 anos, as tendinopatias se tornem cada vez mais comuns.

O fato de nas últimas décadas a população de meia-idade ter se tornado mais ativa colaborou para o aumento da incidência de tendinites, principalmente os do tendão de aquiles e tendões do joelho, cotovelo, punho e ombro

Sintomas

O principal sintoma da tendinite é a dor, que piora quando o tendão é utilizado. Nas tendinopatias dos tendões mais superficiais, como no caso do tendão de Aquiles, é possível notar dor e um espessamento do tendão à palpação do mesmo. Um inchaço na região do tendão também é comum.

O quadro clínico específico depende do tipo de tendão acometido. Por exemplo, nas tendinites do ombro (tendinopatia do manguito rotator), o paciente sente uma dor profunda no ombro quando tenta fazer movimentos com o braço; na tendinite do joelho (tendinopatia patelar), há uma dor na porção anterior do joelho toda vez que o paciente anda, sobe ladeira ou quando está sentado e levanta-se.

Diagnóstico

Uma tendinose pode ser diagnosticada apenas com o exame físico. Quando há dúvidas, exames de imagens, como a ultrassonografia ou a ressonância magnética podem ser solicitados ao toque palpação e observação.”

 

A HÉRNIA DISCAL

Atleta de 22 anos praticante de lançamento de disco. História de dor lombar há 5 anos com crises de 2 a 3 semanas, acarretando limitação funcional para o desporto.

Há 6 meses apresentou agravamento no quadro de dor com sintomas de irradiação para o membro inferior esquerdo e sensação de queimação  até à face lateral do pé, associada a perda de força e coordenação. Agrava a dor com tentativas de alongamento dos músculos isquiotibiais da coxa esquerda

Sinal de Lasegue + a 30 graus de flexão do quadril com o joelho em extensão.

Realizado exame de ressonância magnética da coluna lombo-sacra com identificação de hérnia discal protrusa paracentral e foraminal esquerda no nível L4-L5 que reduz o diâmetro do forame neural deste lado, comprimindo e deslocando o saco dural.